O preço da perfeição

A série que pode te fazer não desgrudar da tela ou largar de primeira.

Entenda o porquê…

A série “O preço da perfeição” que acontece em 1 temporada de 10 episódios na Netflix, mostra uma trama que mistura balé do mais alto nível com crimes e rivalidades adolescentes, foi e é muito criticada.

Para muitos a série é péssima por ser muito melodramática ao usar e abusar de cenas de sexo e rivalidades entres seus personagens a todo o momento, o que te faz ficar cada vez mais curioso e suspeitar até do professor.

Parece um pouco com a famosa série “Elite”, mas seu diferencial está em talvez ter muitos furos no desenvolvimento do mistério que norteia a temporada.

Só que aí que está: ao mesmo tempo que pode te fazer querer largar no mesmo minuto, é o tipo de série que não tem muita continuidade de roteiro o que te faz querer continuar assistindo até o final.

Ela te faz querer juntar cada peça do quebra-cabeça junto com a policial e seus personagens e ainda querer responder: “mas o que mesmo que está acontecendo?”.

Até que ponto o ser humano pode chegar?

Um dos pontos que mais me chama a atenção na série é mostrar que por se tratar de um universo para poucos – o mundo do balé, exige muita dedicação física e psicológica que faz os personagens, inclusive a protagonista não serem nem um pouco bonzinhos para conquistarem o melhor lugar.

Tudo isso resulta em diversas formas de sacrifício na vida pessoal e profissional, o que dá às vezes até nojo de determinadas atitudes mostradas. Ninguém lá coloca a humanidade em 1º lugar – é o tal preço da perfeição.

Todos lá são meramente produtos que a todo tempo se vendem literalmente. Você fica até confuso por não entender “afinal, qual é a deles?”. De uma cena para outra quem era amigo já se torna inimigo. O que me faz pensar e refletir no mundo aqui fora também.

Até onde você é capaz de sacrificar por um sonho seu?

Coloque-se ao lado das pessoas e não em cima delas

Acredito que você já ouviu falar da meta SMART, que afirma que seu objetivo precisa ser:

  • Específico: o que exatamente você quer?
  • Mensurável: O que determina que você alcançou seu objetivo?
  • Atingível: Esta meta é realista?
  • Relevante: Por que esta meta é importante?
  • Temporal: Em quanto tempo você quer alcançar?

E eu acrescento mais um ponto: a meta precisa ser SUSTENTÁVEL.

Vivemos em um mundo que exige sermos muito competitivos, ter a melhor performance, alcançar os melhores resultados. Só que para você conseguir isso, precisa ser de forma sustentável, sem precisar ‘pisar nos outros’ para que você suba.

Coloque-se ao lado das pessoas e não em cima delas. Às vezes você nem saber por que quer ser melhor que os outros. Pode ser que seja mais questão de inflar o ego e conquistar olhares de inveja assim como na série.

Você acredita estar se preenchendo, mas estará cada vez mais vazio mesmo que alcance a meta desejada. Quando achar que vai ter alguém com você, lá estará chegando sozinho (a).

“Com o hábito de pisar nos outros, você não percebe que só arrasta sujeira nos seus sapatos”.

Se em algum momento da sua vida você precisou mentir, ser desonesto, perder amigos, decepcionar pessoas a qualquer custo, mesmo estando hoje no topo, saiba que você ainda pode corrigir seus comportamentos colocando-se ao lado das outras pessoas.

Você pode ser grande, mas não a qualquer preço

 Vamos lá, antes que você pense que não pode querer seu próprio bem, se destacar em uma ou várias áreas, entenda o seguinte: você pode sim, mas qual intenção que você tem por trás disso?

Se suas ações são orientadas em ‘pisotear’ os outros que estão ao seu redor, isso só demonstra uma falta de autoestima e segurança, além de medo de que alguém te supere. Você passa a acreditar que não vai conseguir se jogar limpo, afinal, você sabe que sempre vão ter pessoas melhores do que você em qualquer outra área.

Como identificar se estou pisando nos outros

Fique atento a estes sinais:

  • Você denigre conscientemente o trabalho do outro e as conquistar que alguém teve para provocar mais insegurança na pessoa
  • Sempre que pode você usa a autoconfiança que tem ao seu favor, mas para mentir e monopolizar a conversa para você ser o centro das atenções
  • Seu objetivo é ser grande, e para se destacar você humilha e critica o trabalho dos outros, já que você sabe que não conseguirá se destacar em tudo

Talvez você já tenha vivido algumas dessas situações. É o famoso jogar sujo. Isso acontece principalmente porque não existe um verdadeiro apreço pelas pessoas que estão à sua volta, ou até porque você está tão focado em sua meta que os outros já nem importam mais para você.  Chega a se tornar uma obsessão.

A boa notícia é que podemos sim ser grandes, ter nossas próprias metas e alcançar elas sem precisar afetar os demais. É claro que em determinadas circunstâncias quando todos lutam por um mesmo objetivo, o melhor normalmente ganhará. Nesse caso, não há problema em alguém chegar ao topo. Se você jogou bem e limpo terá aprendido e saberá agora quais são suas outras possiblidades.

👉Para ter tempo para obter mais resultados com equilíbrio, me siga nas mídias sociais: https://bit.ly/3qDJqqZ

Adaptado de:

MENEZES, Delmo. Reflexão: Se você quer crescer, não pise nos outros. 2018. Disponível em: < http://agendacapital.com.br/reflexao-se-voce-quer-crescer-nao-pise-nos-outros/>. Acesso em: 25 abr. 2021.

1123
Deixe seu comentário