Microsoft anuncia compra de startup para melhorar cortana

O evento da Google I/O, durante a demonstração da capacidade de comunicação do Google Duplex, Mountain View maravilhou o mundo com uma inteligência artificial tão bem articulada que as pessoas presentes não perceberam se tratar de uma máquina falando. A inovação parece ter estabelecido um novo patamar para a comunicação de inteligências artificiais, tanto que a Microsoft anunciou a compra da startup Semantic Machines, voltada para o desenvolvimento de interfaces de linguagem, parceria que pode dar uma mãozinha para melhorar as habilidades da Cortana, assistente da empresa.

A Microsoft também está adquirindo alguns talentos-chave no negócio: Larry Gillick, CTO da Semantic Machines, que anteriormente era o principal cientista de fala da Apple para a Siri; bem como os professores de AI Dan Klein e Percy Liang, da UC Berkeley e Stanford, respectivamente.

microsoft

Desde o ano passado, a Microsoft vem se empenhando em melhorar as habilidades de conversação de seus chatbots, como a Cortana e o Xiaoice, sendo que esse último já registra mais de 30 bilhões de conversas com usuários chineses. Com a compra da Semantic Machines, a empresa disse estar “estabelecendo um centro de excelência de conversação em Berkeley para avançar os limites do que é possível em interfaces de linguagem”. O objetivo dos negócios é trazer ao público “experiências mais poderosas, naturais e mais produtivas, que levarão a computação conversacional a um novo nível”.

A Acer anunciou a disponibilidade dos primeiros laptops Windows 10 com Alexa pré-instalados ao lado de Cortana. É um movimento que faz sentido para compradores que possam estar mais familiarizados com o assistente digital da Amazon, mas também ameaça desvalorizar a existência da Cortana como parte da experiência do Windows.

No entanto, desde que a Microsoft fez uma parceria com a Amazon para integrar mais de perto as duas empresas em 2017, a criação de Alexa no Windows pode ser benéfica para a Microsoft e a Amazon. De qualquer maneira, as guerras dos assistentes digitais só estão esquentando.

Fonte: Gizmodo, Quartz

2526
Deixe seu comentário