Hackeando o Tinder | Brasileiro em uma busca implacável pelo mozão

Tinder é uma aplicação multiplataforma de localização de pessoas para encontros românticos online cruzando informações do Facebook, do Spotify e Instagram. Ele é uma fonte de desejo para muitos, que não saem de casa, ou que não vão para balada, é uma forma que muitas pessoas conhecem umas as outras sem saírem de casa. Além de conhecer a pessoa, é um jogo de texto, que podem criar um laço forte, para que chegue o momento tão esperado que é o encontro.

Apenas deslizando o dedo para a direita e para a esquerda, repetidas vezes, você tem o poder de decidir se quer conhecer ou ignorar a pessoa, e o objetivo é conseguir varios matches, para quem sabe encontrar o  “mozão” para vida toda. Mas certamente esse processo acaba sendo tedioso depois de um tempo, e foi por conta disso que Murillo Neri, estudante de economia de 24 anos, decidiu fazer um hack esperto.

“Ficar jogado no sofá depois do trabalho passando o dedo pro lado em busca de companhia era algo extremamente burocrático. Quando você é meio feio, você precisa deslizar pro lado umas cem vezes para achar um interesse mútuo”, disse à VICE.

Hackeando o Tinder

Murillo trabalhava com otimização de processos em um banco, ele era expert no manuseio de planilhas eletrônicas. Com essa expertise, o rapaz decidiu criar, no ano passado, um arquivo chamado “MATCHine_Gun.xlsm”: um sistema que interage com a interface do Tinder com o objetivo de apertar o coração verde um número de vezes determinado por uma variável específica.

Tinder

Ele criou o programa usando a linguagem VBA, rodando-o a cada três segundos. Com isso, o jovem disse que conseguiu números empolgantes, tendo gerado 400 likes em apenas 20 minutos e, indo além 14.400 likes em 12 horas. Para isso, ele assinou uma conta premium do aplicativo.

De acordo com a analise do estudante, ele observou que alguns dias e horários permitiam mais combinações acertadas. Ele também notou que fotos temáticas geravam mais resultado, como, por exemplo, uma foto em que ele se fantasiou de Neymar. Ele também descobriu quais bairros de São Paulo geravam mais matches.

E por fim depois de três meses rodando o código, acumulando 65 mil curtidas e 3.500 combinações, Murillo enfim conheceu a usuária que se tornaria sua namorada. De acordo com Murillo “Ela não curtiu muito de imediato, pois ninguém gosta de saber que não foi escolhida a dedo. Mas dei um sambarilove e hoje em dia a gente da risada disso”. Com isso, a MATCHine_Gun foi aposentada e as interações, segundo afirma, estão “um pouco menos ´robóticas´ que antes”.

Fonte: VICE

6786
Deixe seu comentário