Processos, dívidas e Arena: como o Corinthians entrou em crise mesmo sem jogar!!!

Corinthians 

Na última quinta-feira, muros da sede do Corinthians amanheceram pichados com críticas e ofensas ao presidente Andrés Sanchez. No dia seguinte, mais pressão: torcedores organizados foram ao local e protestaram contra a diretoria alvinegra.

Os atos não chegam a ser novidade no Corinthians, mas surpreendem pelo momento em que acontecem. Afinal, o Timão não joga há mais de três meses.

Desta vez, porém, a ira da torcida não tem a ver com derrotas ou eliminações.

É verdade que os resultados em 2020 não foram bons. O Corinthians venceu apenas três jogos oficiais no ano, foi eliminado na primeira fase da Copa Libertadores e tem chances remotas de classificação no Campeonato Paulista.

Andrés Sanchez tem que lidar com grave crise no Corinthians em fim de mandato — Foto: Infoesporte
Andrés Sanchez tem que lidar com grave crise no Corinthians em fim de mandato — Foto: Infoesporte

Com a paralisação do futebol, quitar os débitos ficou impossível. A inadimplência no programa Fiel Torcedor superou 30%, patrocinadores suspenderam contratos e outras receitas foram cortadas.

Como consequência, o Corinthians não conseguiu pagar salários. Atualmente, os jogadores têm dois meses em atraso. Também há uma enorme dívida de direitos de imagem, que no fim de 2019 era de R$ 48 milhões e desde então só cresceu.

No momento, a diretoria alvinegra procura credores em busca de renegociações. O clube tenta ganhar mais tempo para quitar as dívidas e evitar novas cobranças na Justiça.

2083
Deixe seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.